top of page

AÇÚCAR NA INFÂNCIA

Escrevemos recentemente sobre o açúcar e, para complementar, vamos abordar sobre as recomendações para o consumo de açúcar na infância.

O consumo de açúcar livre ou de açucar de adição está associado a um menor consumo de alimentos mais nutritivos, a um maior consumo de calorias , a uma maior incidência de cáries e a um incremento do risco de desenvolver doenças cronicas (obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares).

A meta da OMS de reduzir o consumo de açúcar da populaçao ja vem desde 2002. A recomendação é de que o consumo seja menor do que 10% do valor energético total. 

Em seu novo guia sobre o consumo de açucar publicado esse ano, essa recomendaçao se estende às crianças, com o lembrete de que maiores benefícios à saúde podem ser alcançados se o consumo diário de açúcar for reduzido para 5% das calorias ingeridas (ou cerca de 25g de açúcar por dia, com base numa dieta de 2000kcal).

Com relaçao ao uso de açucar na infância, é muito importante lembrar que bebês não precisam de açucar!

Em concordância com recomendações internacionais, o Ministério da Saúde aponta, em seu guia alimentar para a criança menor de dois anos, que a adição de açucar é desnecessária e deve ser evitada. Aponta ainda que que a família deve ser orientada a não oferecer doces, sorvetes, refrigerantes e afins para o bebê.

Em uma pesquisa realizada por um grupo de pesquisadores da UNIFESP observou-se elevada frequência de acréscimo de açúcar, de cereais e de achocolatado ao leite ou à fórmula, mesmo em crianças menores de 6 meses. Além disso, desde muito novinhas as crianças já começam a receber alimentos inadequados como, por exemplo, biscoitos recheados, macarrão instantâneo e refrigerante.  É importante destacar que todas essas práticas estão associadas a um maior risco de obesidade, ainda na infância.

Quantidade de açucar em alimentos:AlimentoPorçaoQuantidade de açucarPercentual para uma dieta com base em 2000kcal  (recomendaçao para um adulto)Suco (tipo néctar)200ml27g5,4%Iogurte de frutas100g10g2%Barra de cereal1 unidade10g2%Granola1 xícara15g3%Cereal matinal Flocos de milho com açúcar1 xícara15g3%Ketchup1 c. sopa4g0,8%FrutaNão tem açúcar de adição , nao entra na meta de redução

A meta  da OMS contempla a reduçao do açucar adicionado aos alimentos (sacarose, glucose, frutose), tanto industrializados como de preparaçoes domésticas. Também entram no computo o açucar naturalmente presente no mel, nos xaropes (de milho, maple..), nos sucos de frutas e nas frutas concentradas.

É bastante difícil avaliar a quantidade de açúcar “escondida” nos alimentos. As tabelas nutricionais e os rótulos dos alimentos dificilmente trazem essas informações. É, inclusive, uma das recomendações desse novo guia que os rótulos possam trazer esse dado. Eu particularmente, ADORO quando vejo essa informação nos rótulos. Algumas (poucas, infelizmente) empresas já fazem isso com alguns produtos.

2 views0 comments

Recent Posts

See All

VITAMINA D NA INFÂNCIA

A vitamina D é fundamental para a absorção de cálcio, para  formação e manutenção óssea, além de atuar no sistema imunológico. A maior parte da vitamina D é obtida pela pele,  através da exposição sol

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page